ABERTO O PROCESSO DE NEGOCIAÇÃO DA CAMPANHA SALARIAL 2019/2020

A primeira reunião de negociação da Campanha Salarial 2019/2020 dos(as) metroviários(as) foi realizada na manhã desta quarta-feira (27). Ficou definida uma agenda, com encontros semanais, sempre às quartas-feiras. O governo colocou o dia 31 de maio como limite para o fechamento do acordo. Veja a ata da primeira reunião CLICANDO AQUI.

METROVIÁRIOS E METROVIÁRIAS NO DIA NACIONAL DE LUTAS CONTRA A REFORMA DA PREVIDÊNCIA

No dia nacional de lutas contra a reforma da previdência, metroviários e metroviárias do Rio Grande do Sul dialogaram com usuários na estação Mercado, no centro de Porto Alegre. Panfletos com as mudanças que inviabilizam a aposentadoria dos trabalhadores e das trabalhadoras foram distribuídos à população usuária do trem metropolitano, que agora começa a entender as maldades do governo contra a classe trabalhadora.

Na sequência, na esquina democrática, metroviários e metroviárias participaram do grande ato público unitário das centrais sindicais contra a reforma que extingue as aposentadorias. Milhares de trabalhadores e trabalhadoras repudiaram à reforma que acaba com o sistema público e solidário de aposentadorias e joga para o sistema financeiro privado a possibilidade de os trabalhadores e as trabalhadoras se aposentarem.

image-2875

image-2876

image-2877

image-2878

image-2879

VAMOS DERRUBAR A REFORMA DA PREVIDÊNCIA! 22/03 É DIA NACIONAL DE LUTAS, RUMO À GREVE GERAL

O Sindimetrô/RS se soma a outras organizações dos trabalhadores e dos movimentos populares e estudantis na mobilização nacional contra a reforma da Previdência, marcada para sexta-feira, 22.

Neste sentido, convidamos a categoria metroviária para participar do ato público convocado pelas centrais sindicais para o final da tarde. A manifestação, na Esquina Democrática, está marcada para às 18 horas.

A reforma da Previdência proposta pelo governo Bolsonaro (PSL) é ainda pior que a de Michel Temer (MDB), derrotada nas ruas pelos trabalhadores, em 2017, com a realização de uma greve geral.

Entre as medidas propostas pelo governo está a imposição de uma idade mínima para aposentar, de 65 anos para homens e 62 anos para mulheres; contribuição de 40 anos para obtenção da aposentadoria integral; e introdução do sistema de capitalização, modelo de risco em que os bancos passarão a gerir as contribuições individuais feitas pelos trabalhadores.

Com as mudanças, uma grande parcela da população morrerá trabalhando ou se aposentará com um salário miserável. Não aceitaremos a retirada de direitos! Participe da manifestação desta sexta-feira.

image-2869

image-2870

image-2871

image-2872

METROVIÁRIOS ENTREGAM PAUTA DE REIVINDICAÇÕES

Os metroviários do Rio Grande do Sul entregaram, no final da manhã desta sexta-feira, 15, a pauta de reivindicações da Campanha Salarial Unificada. O documento foi protocolado e entregue à presidência da Trensurb pelos dirigentes de quatro sindicatos com base na categoria (Sindimetrô/RS, Senge/RS, Sintec-RS e Sindaergs).

No ato de entrega foi destacada a importância de o processo de negociação estar concluído até o dia 1º de maio e que as cláusulas sociais sejam assinadas o mais breve possível. O presidente da empresa, David Borille, ao receber a pauta, ressaltou que nomeará uma comissão para discutir as reivindicações com as representações sindicais.

O presidente do Sindimentrô/RS, Luis Henrique Chagas, falou sobre a importância da campanha deste ano ser desenvolvida de forma unificada. “Essa unidade construída é muito importante para que a categoria consiga ter as suas reivindicações atendidas num prazo mais curto de tempo”, destacou o sindicalista.

Outro ponto abordado durante o ato de entrega foi a necessidade de a Trensurb ser mantida como empresa pública e prestadora de um serviço de qualidade à população usuária. A unidade presente na Campanha Salarial também será mantida na luta contra a intenção do governo federal de privatizar a empresa.

Confira, no link abaixo, a pauta de reivindicações.
Pauta de Reivindicações da Campanha Salarial Unificada

image-2852

image-2853

image-2854

image-2855

JORNAL DO SINDICATO DESTACA O PROTAGONISMO DAS MULHERES

Circula nas estações e no prédio administrativo da Trensurb e nas redes sociais do sindicato a edição de fevereiro do Jornal do Sindimetrô/RS.

O informativo é uma edição especial para o mês da mulher – março.

Destaca a reforma da previdência, a programação do 8 de março – Dia Internacional da Mulher e os blocos femininos do carnaval porto-alegrense.

Na sexta-feira, 08, as mulheres estarão durante o dia no Largo Glênio Peres, dialogando com a população. O dia será encerrado com um grande ato público.

TRENSURB AFRONTA USUÁRIOS COM NOVO TARIFAÇO

image-2847

A Trensurb afronta os usuários ao aumentar o valor da passagem para R$ 4,20, majoração que se dá um ano após a tarifa ter passado de R$ 1,70 para R$ 3,30, absurdo aumento de 147%. Milhares de estudantes e trabalhadores que utilizam o trem para deslocamentos diários serão duramente afetados pelo aumento.

Para o Sindimetrô/RS, os desempregados da região metropolitana de Porto Alegre terão ainda mais dificuldades para conseguir uma nova colocação no mercado de trabalho, uma vez que faltarão recursos para o transporte. Segundo o IBGE divulgou na quarta-feira, 27, o desemprego subiu para 12% em janeiro e atinge 12,7 milhões de trabalhadores.

“Uma empresa pública não deve se pautar pela geração de lucro. Tem que prestar um serviço de qualidade e com preços acessíveis à população usuária”, afirma o presidente do Sindimetrô/RS Luis Henrique Chagas.

É, no mínimo, mal-intencionada a afirmação da empresa de que “os gastos com pessoal aumentaram com o prolongamento da linha até Novo Hamburgo”. A quantidade de funcionários não aumentou com as novas estações colocadas em operação. Ao contrário, o número tem caído ano após ano.

O Sindimetrô/RS entende que a Trensurb economizaria recursos se cortasse o exagerado número de cargos em comissão e de funções gratificadas, que oneram a empresa em mais de R$ 20 milhões por ano. Os CCs e FGs geram salários fora da realidade da maioria dos usuários e dos próprios funcionários da empresa. Além disso, os valores absurdos dos contratos de terceirização também oneram os cofres.

O sindicato avalia que o aumento tem como objetivo repassar, em breve, a empresa para a iniciativa privada. Não é segredo que o governo Federal tem a intenção de privatizar empresas de transporte. “Neste caso, as tarifas são aumentadas para que um futuro comprador assuma o controle com uma boa margem de lucro”, avalia Chagas.

O presidente do Sindimetrô/RS ainda lembra que o transporte é um direito constitucional, com os governos municipais, estaduais e federais tendo a obrigação de subsidiar a tarifa.

Foto: Repórter Popular