NOTA DE PESAR

image-2839

O Sindimetrô/RS se solidariza com familiares e colegas do maquinista Rodrigo Assunção, que faleceu nesta quarta-feira, 27, após dois trens da Supervia se chocarem na estação São Cristóvão, na cidade do Rio de Janeiro. Outras oito pessoas ficaram feridas com a colisão.

Ao mesmo tempo que manifesta solidariedade, o Sindimetrô/RS lembra que o metrô do Rio é privatizado. Para o sindicato, o lucro não pode prevalecer sobre as vidas humanas.

METROVIÁRIOS DO RS APROVAM PAUTA DE REIVINDICAÇÕES

image-2836

Em assembleia realizada na terça-feira, 26, os metroviários do Rio Grande do Sul discutiram e aprovaram a pauta de reivindicações do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) 2019/2020. Nas cláusulas econômicas, a categoria reivindica um reajuste com base no IPCA, mais 3% de aumento real.

Documento com as reivindicações será entregue à administração da empresa no dia 15 de março, em conjunto com outras entidades sindicais com representação na categoria. Ao contrário de anos anteriores, desta vez os sindicatos decidiram conduzir a Campanha Salarial de modo unificado.

ASSEMBLEIA GERAL DOS METROVIÁRIOS

Metroviários se reúnem em Assembleia Geral nesta terça-feira, 26, para discutir e aprovar a pauta de reivindicações do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) 2019/2020. A assembleia será na sede do sindicato, às 15h. No dia também serão discutidos os honorários advocatícios no processo do auxílio-creche.

POR QUE O SINDIMETRÔ/RS DECIDIU SE ABSTER NA ELEIÇÃO DO CONSAD?

A eleição para escolha de um representante dos trabalhadores para o Conselho de Administração da Trensurb (CONSAD), além de ter sido chamada a “toque de caixa”, sem ampla divulgação e transparência, não pode ser considerada como um processo democrático de representação dos trabalhadores. Veja as razões da nossa posição:

CONSAD: UMA ELEIÇÃO QUE NÃO NOS REPRESENTA

A eleição do CONSAD não respeita a participação dos trabalhadores.

Para o Sindimetrô/RS, esse processo eleitoral tem como objetivo passar uma falsa ilusão de que o Conselho conta com a representação dos funcionários da empresa em sua composição. No entanto, essa participação “meramente decorativa” é muitas vezes usada para legitimar decisões que atacam os próprios metroviários.

O sindicato não concorda com os critérios excludentes que impedem a participação dos trabalhadores, especialmente as exigências de curso superior e de se ter, no mínimo, dez anos na empresa. A exigência de curso superior, por exemplo, exclui do processo cerca de 90% da categoria, visto que para ingressar na maioria dos cargos da empresa não é necessário ter essa graduação.

Outra crítica se refere às urnas, localizadas apenas no prédio administrativo e na estação Canoas. Essa distribuição dificulta o voto dos trabalhadores do setor de operação. Em outros processos eleitorais, como os da CIPA e do Sindimetrô, urnas itinerantes são usadas para facilitar a participação dos colegas.

O Sindimetrô/RS também manifesta contrariedade ao pagamento para membros do Conselho por participação em reuniões, os famosos jetons. Tratam-se de valores altíssimos pagos com verbas públicas, oriundos dos impostos pagos pela sociedade. Recursos que deveriam ser usados na eficaz prestação de serviços públicos.

CONCEITO DE PARIDADE NÃO É APLICADO NO CONSELHO

Paridade é a regra que garante igualdade de tratamento entre grupos distintos. A partir deste conceito, o Sindimetrô/RS entende que, para ser realmente paritário e democrático, o CONSAD deveria considerar em sua composição a participação igualitária entre representantes da empresa e dos trabalhadores, no caso três de cada lado. Para se ter uma ideia, hoje são cinco representantes da patronal e um dos empregados.

JETOM: O SEGUNDO SALÁRIO

Jetom é a gratificação paga para agentes políticos e servidores públicos pela participação em comissões, colegiados ou outros órgãos de deliberação coletiva.

Os jetons pagos em estatais funcionam como uma forma de aumentar a remuneração de alguns servidores, e a participação nos conselhos não exige nenhum cargo dentro da empresa. Muitos dos indicados pelo Governo para ocuparem essas vagas participam de conselhos em diversos órgãos, tornando-se verdadeiros “profissionais do jetom” com polpudos salários. Nas estatais, os jetons podem variar de R$ 2,7 mil a R$ 27 mil.

POR UM CONSAD QUE REALMENTE REPRESENTE OS TRABALHADORES!

METROVIÁRIOS PARTICIPAM DE PROTESTO CONTRA O AUMENTO DA PASSAGEM EM PORTO ALEGRE

Mobilizados contra o aumento da tarifa do trem para R$ 4,20, metroviários participaram na manhã desta quinta-feira, 21, de um protesto organizado pelo movimento estudantil contra o aumento da passagem dos ônibus de Porto Alegre.

O prefeito da capital, Nelson Marchezan Júnior (PSDB), encaminhou na semana passada e o Conselho Municipal de Transportes Urbanos (Comtu) aprovou nesta manhã a elevação da tarifa dos ônibus para R$ 4,70.

Contrários ao aumento da passagem, centenas de estudantes e apoiadores do movimento ocuparam, primeiro, a frente da Prefeitura, e, depois, as ruas da região central da cidade. O protesto foi encerrado no Largo Zumbi dos Palmares.

“Na luta contra o aumento da passagem do trem, levamos a nossa solidariedade e o nosso apoio à mobilização contra o aumento da tarifa no transporte público da capital”, destacou o dirigente do Sindimetrô/RS Henrique Luis Frozza.

image-2824

image-2825

image-2826

image-2827

METROVIÁRIOS(AS) PARTICIPAM DA ASSEMBLEIA NACIONAL DA CLASSE TRABALHADORA

Metroviários e metroviárias de São Paulo, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul, junto com a representação da Fenametro, participaram na manhã desta quarta-feira, 20, na praça da Sé, em São Paulo, da Assembleia Nacional da Classe Trabalhadora – Contra a Reforma da Previdência e em Defesa da Aposentadoria dos trabalhadores brasileiros.

Milhares de trabalhadores e trabalhadoras de diversas categorias e regiões do país discutiram a necessidade de se contrapor à reforma. O projeto foi entregue na Câmara dos Deputados no final desta manhã. A discussão também se deu no sentido de organizar as diferentes categorias, o movimento social e estudantil para o enfrentamento aos ataques contra direitos históricos da classe trabalhadora.

image-2821