CARTA ABERTA ADVERTE À POPULAÇÃO SOBRE A POSSIBILIDADE DE GREVE

Em carta aberta distribuída aos usuários e usuárias do trem, o Sindimetrô/RS denuncia o descaso da Trensurb na discussão do Acordo de Escalas da categoria.

O material adverte para a possibilidade de paralisação dos serviços caso não ocorram avanços nas negociações. Não está afastada a possibilidade da categoria radicalizar o movimento.

Veja, a seguir, a integra da carta entregue à população.

 

ASSEMBLEIA GERAL SERÁ NA PRÓXIMA SEXTA-FEIRA

Marcada anteriormente para esta quarta-feira, a Assembleia Geral da categoria foi transferida para sexta-feira, 28, às 12h30min, no saguão do prédio administrativo da Trensurb. A mudança teve como motivo o agendamento de uma reunião de negociação para quinta-feira, 27. Contudo, a direção da Trensurb voltou a desmarcar o encontro, mostrando total falta de respeito com os metroviários e metroviárias.

image-2612

SINDIMETRÔ/RS REALIZA ATIVIDADE DE MOBILIZAÇÃO PARA GARANTIR O ACORDO DE ESCALAS

Em defesa do acordo de escalas, metroviários e metroviárias realizaram, ao meio-dia desta terça-feira, 18, uma atividade de mobilização no saguão do prédio administrativo da Trensurb.

Em reunião no dia 31 de agosto, a direção da empresa voltou atrás nas negociações. Atitude arbitrária, que ocorreu quando o acordo estava praticamente fechado.

O processo de mobilização e pressão terá continuidade nos próximos dias, com uma assembleia geral já marcada para quarta-feira, 26, no pátio da Trensurb.

Para a direção do Sindimetrô/RS, o rompimento demonstra a irresponsabilidade da atual administração da empresa e o seu total desrespeito com os trabalhadores e as trabalhadoras.

“Um enfrentamento desnecessário e que pode empurrar a categoria para um movimento mais radicalizado”, avalia o presidente do sindicato Luis Henrique Chagas.

image-2606

image-2607

image-2608

image-2609

ACORDO DE ESCALAS: CATEGORIA NÃO ACEITARÁ RETROCESSOS

A edição de número 137 do Jornal do Sindimetrô/RS destaca o recuo da Trensurb na negociação do Acordo de Escalas e chama a categoria para a mobilização, que começa com uma atividade no próximo dia 18, a partir das 11, no pátio da empresa. Na sequência, dia 26, uma nova assembleia definirá os rumos do nosso movimento.

ACORDO DE ESCALAS: METROVIÁRIOS E METROVIÁRIAS DECIDEM POR MOBILIZAÇÃO PARA GARANTIR A RENOVAÇÃO

Um dia de mobilização no pátio da empresa na próxima terça-feira, 18, e uma nova assembleia no dia 26 para garantir a renovação do Acordo de Escalas. Essas foram as deliberações tiradas pelos metroviários e metroviárias do Rio Grande do Sul em assembleia geral realizada no início da tarde desta quarta-feira, 12, no saguão do prédio administrativo da Trensurb.

A assembleia ocorreu devido à administração da empresa ter zerado, no dia 31 de agosto, a negociação do Acordo de Escalas. O retrocesso se deu quando faltavam apenas detalhes para o fechamento da proposta e a sua consequente assinatura.

A postura da Trensurb é inaceitável, visto que existe um compromisso de assinatura do acordo assumido pela mesma perante o Tribunal Regional de Trabalho (TRT), ainda no início do mês de junho. O recuo adotado pela direção da empresa mostra a falta de palavra e o desrespeito com a categoria, posturas que não serão aceitas pelos metroviários e metroviárias.

image-2598

image-2599

image-2600

ACORDO DE ESCALAS: JORNAL DESTACA RECUO DA TRENSURB E CONVOCA A CATEGORIA PARA UMA ASSEMBLEIA GERAL

Circula na linha e nas dependências do prédio administrativo da Trensurb a edição 136 do Jornal do Sindimetrô/RS. O informativo destaca o recuo da empresa na discussão do Acordo de Escalas e chama a categoria para uma Assembleia Geral, no próximo dia 12 (quarta-feira), às 12h, no pátio da empresa.

No dia 31 de agosto, ignorando encontros anteriores, a direção da Trensurb voltou atrás e zerou a negociação do Acordo de Escalas sem qualquer justificativa. Para o Sindimetrô/RS, o recuo não tem fundamento, uma vez que detalhes impediam a assinatura.

Na Campanha Salarial, a mobilização foi fundamental para o fechamento do acordo. Agora, a categoria precisa novamente mostrar a sua força para garantir o Acordo de Escalas. Todos na Assembleia Geral!