Acompanhe o Jornal do Sindicato em sua versão online

Circula em sua versão online a 132ª edição do Jornal do Sindimetrô/RS. O informativo tem como principais destaques o recuo da Trensurb nos ataques contra direitos históricos da categoria metroviária e as dificuldades enfrentadas pelas mães metroviárias. A edição impressa estará na linha a partir da terça-feira, 29.

Sindimetrô/RS aguarda proposta financeira para a próxima semana

A direção do Sindimetrô/RS espera que a Trensurb apresente uma proposta financeira para os acordos coletivos do ano passado e deste ano em reunião marcada para próxima terça-feira, 29, no Tribunal Regional do Trabalho – TRT.

Encontro realizado nesta sexta-feira, 25, na sede da empresa, discutiu as cláusulas sociais do acordo coletivo deste ano. O sindicato espera encerrar o assunto em reunião agendada para segunda-feira, 28. A empresa segue com a intenção de fechar os dois acordos de modo simultâneo.

Os(as) metroviários(as) voltam a se reunir em assembleia geral na próxima quarta-feira, 30, às 12h30min, no pátio da empresa. A categoria segue mobilizada e em estado de greve.

image-2448

Nota de apoio à greve dos caminhoneiros

O Sindimetrô/RS vem a público manifestar irrestrito apoio à greve dos caminhoneiros. Luta que não se limita aos preços dos combustíveis, mas trata-se da dignidade do povo trabalhador.

O Brasil experimenta uma profunda crise de representatividade, com suas instituições desacreditadas aos olhos da população. Situação que gera instabilidade econômica e social.

Neste cenário, a greve dos caminhoneiros pode ser um balizador para colocar em definitivo um freio nos sistemáticos ataques que têm os trabalhadores como principais vítimas.

Mesmo com repercussões econômicas e sociais em todos os setores da sociedade, o aumento no preço dos combustíveis é um mal que afeta sobretudo os trabalhadores e o povo pobre.

Esses reajustes têm reflexos no preço do gás de cozinha e em todos os produtos consumidos. Neste sentido, são os trabalhadores e, em especial os mais pobres, que sempre saem perdendo.

O aumento quase que diário do preço dos combustíveis é resultado de uma política com viés privatista adotada pela atual direção da Petrobras, com o consentimento do governo Temer.

Diante do aumento dos preços do petróleo no mercado externo, a direção da empresa, encabeçada por Pedro Parente, e o governo federal optaram por repassar esse custo aos consumidores.

E é essa conta que está no momento sendo questionada pela greve dos caminhoneiros, classe composta em sua maioria por trabalhadores autônomos. Por isso, o Sindimetrô/RS apoia a greve e defende a Petrobras como empresa pública e estatal, que cumpra a sua função social.

Acordo de escalas de trabalho

Ocorreu na tarde da quarta-feira, 23, na sede da empresa, a primeira reunião entre o Sindimetrô/RS e a Trensurb para discutir o Acordo de Escalas de Trabalho. O Diretor de Operações, Diego Tarta, abriu o encontro ratificando a renovação do acordo por 90 dias.

Afirmou, ainda, que pretende negociar de forma transparente e que não há intenção de prejudicar os trabalhadores. Foi acordado que as reuniões de negociação serão realizadas nas quartas-feiras, às 14h30min.

Ficou de ser apresentado, na próxima reunião, o estudo realizado pelo Grupo de Trabalho das Escalas composto por funcionários indicados pela empresa.

image-2438

Nota de apoio aos metroviários e metroviárias da Argentina

O Sindimetrô/RS expressa solidariedade à categoria metroviária de Buenos Aires, duramente reprimida pelas forças de segurança enquanto lutam por salários dignos e contra a suspensão de trabalhadores e trabalhadoras que participam dos protestos pela concessionária do metrô da capital argentina.

Conclamamos a população de Buenos Aires para se solidarizar com os metroviários e metroviárias nessa importante batalha, que também se dá contra o aumento da tarifa, proposta barrada, mas que faz parte da política do governo Macri de aumento dos preços dos serviços básicos.

Todo o nosso apoio à luta dos companheiros e companheiras da Argentina. Chega de violência contra quem luta por dignidade. Não nos calarão!

image-2435

TRENSURB RECUA E METROVIÁRIOS(AS) SUSPENDEM GREVE

Está momentaneamente suspensa a greve dos(as) metroviários(as) marcada para esta terça-feira, 22. A suspensão foi definida em assembleia realizada no início da tarde desta segunda-feira, 21, no pátio da empresa. Pouco antes, uma reunião no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) traçou um acordo no qual a empresa se comprometeu a renovar as cláusulas sociais e manter aberta a negociação do índice da reposição salarial da categoria, inclusive com a manutenção da data-base em 1º de maio.

Os(as) metroviários(as), no entanto, mantêm o estado de greve e o cronograma de mobilização definido, com a não realização de horas extras até o dia 1º de junho e assembleias semanais para avaliar o movimento. Na manhã de sexta-feira, 25, as comissões de negociação voltam a se reunir para dar prosseguimento à discussão da pauta de reivindicações. Logo, em seguida, haverá outra reunião envolvendo a empresa e o Sindimetrô/RS com a intermediação do TRT.

A assembleia desta tarde foi uma das maiores realizadas nos últimos tempos, o que demonstra o grau de mobilização da categoria na luta pela manutenção de direitos e por novas conquistas. Essa movimentação tem sido fundamental para que a Trensurb recue dos ataques contra direitos históricos dos(as) metroviários(as). Na próxima sexta-feira, enquanto as comissões de negociação estiverem reunidas e durante o encontro no TRT, um salchipão será realizado no pátio da empresa para manter a unidade construída.

Num momento em que metroviários e metroviárias mostram um forte grau de unidade e de mobilização, o Sindimetrô/RS lamenta a ausência nas assembleias dos demais sindicatos com representação na categoria, como o Sintec, Senge, Sindaergs e Saergs.

image-2426

image-2427

image-2428

image-2429

image-2430

image-2431

image-2432