Na próxima quinta-feira, 14, a Esquina Democrática, no centro de Porto Alegre, será palco de um ato público unitário contra a reforma da previdência. Convocada pelas centrais sindicais, a concentração começa às 18h.

A reforma ampliará a pobreza no país e tornará quase impossível a aposentadoria dos trabalhadores. O ministro da Economia, Paulo Guedes, defende a idade mínima de 65 anos para homens e mulheres, além de 40 anos de contribuição para receber o valor integral.

CAPITALIZAÇÃO – A exemplo da poupança, o sistema de capitalização prevê que cada trabalhador deposite parte do salário em contas bancárias individuais, sem a coparticipação do Estado. No Chile, a privatização da previdência levou o sistema à ruína, com as administradoras dos fundos de pensão se apropriando de grande parte do dinheiro dos contribuintes. Atualmente as baixas pensões pagas aos aposentados estão levando o país a ter uma grande taxa de suicídios entre os idosos.

image-2806