Em assembleia extraordinária realizada na tarde desta quarta-feira, 8, na sede do Sindimetrô/RS, os metroviários decidiram, por unanimidade, rejeitar a proposta salarial da Trensurb. A categoria também decidiu entrar em estado de greve.

Durante mais uma reunião com a direção da Trensurb, que ocorreu na manhã desta quarta, a direção do Sindimetrô/RS argumentou que a correção salarial deve garantir, no mínimo, a reposição da inflação medida pelo IPCA, que é de 9,28%. A empresa ofereceu 8,28%.

O sindicato também reivindica que a cesta básica paga aos funcionários da Trensurb tenha o mesmo valor da cesta paga pela Companhia Brasileira de Trens Urbanos – CBTU em outras unidades da federação.

“Quem frequenta supermercados e outros pontos de comércio sabe que a inflação é superior ao percentual do IPCA, portanto, 9,28% é o índice mínimo que podemos aceitar”, defende o presidente do Sindimetrô/RS, Luís Henrique Chagas.

DSC01216
image-1389

DSC01214
image-1390