Reunidos em assembleia, na tarde desta quarta-feira, 08, os(as) metroviários(as) recusaram as duas propostas salariais feitas pela Trensurb e decidiram apresentar uma contraproposta. Foram rejeitadas as propostas de 0% de reajuste salarial e renovação das demais cláusulas, e a de 20% do INPC com alterações em algumas cláusulas sociais.

Como contraproposta, a categoria decidiu abrir a discussão com a direção da empresa sobre duas cláusulas sociais: a que prevê garantia da estabilidade para os(as) cipeiros(as) e a que assegura a estabilidade para empregados(as) afastados(as) por acidentes de trabalho/doença profissional. Para negociar estas cláusulas, a categoria exige a correção de 100% do índice da inflação nos salários; um abono em virtude dos congelamentos do tíquete, cesta básica e auxílio creche; e o fechamento do acordo por dois anos.

Nova reunião de negociação está marcada para quarta-feira, 15, e uma nova assembleia da categoria será convocada para a próxima quinta-feira, 16.

image-2921

image-2922

image-2923