image-3610

Há duas semanas, o Sindicato dos Metroviários vem exigindo da empresa melhores condições de segurança aos metroviários, a fim de manter o serviço para atender os trabalhadores que não podem parar. No dia 16 de março, foi protocolado o primeiro ofício pedindo para que a empresa cumprisse as determinações dos órgãos de saúde pública e apontando sugestões para combater a transmissão do Covid-19. No dia 23 de março, diante dos pequenos avanços, novo ofício foi emitido para a direção da Trensurb.

Em assembleia realizada nessa terça-feira (25), os metroviários debateram sobre as medidas de prevenção e proteção aos trabalhadores e usuários diante da pandemia do coronavírus. A preocupação da categoria é quanto à exposição a que estão submetidos, visto que tem contato direto com um grande número de pessoas. A assembleia decidiu por paralisar os serviços, a partir da 00:00 do dia 29 de março, caso a empresa não atenda as reivindicações. Dentre as principais solicitações estão:

– A liberação das catracas, evitando o contágio através do atendimento nas bilheterias e manuseio de dinheiro;
– Operação em horários especiais com foco na demanda dos trabalhadores dos serviços essenciais, possibilitando maior oferta no número de viagens e evitando aglomerações.

Diante disso, amanhã, às 9:00, haverá mediação entre o Sindimetrô, Trensurb, TRT e MPT.

Queremos respeito aos metroviários, usuários e familiares!