METROVIÁRIOS APROVAM CONTAS E PLANO ORÇAMENTÁRIO DO SINDIMETRÔ RS

METROVIÁRIOS APROVAM CONTAS E PLANO ORÇAMENTÁRIO DO SINDIMETRÔ RS

image-4967

image-4968

A categoria metroviária se reuniu em assembleia nesta terça-feira para discutir as finanças do sindicato. A apreciação dos demonstrativos contábeis do ano de 2020 e a deliberação do plano orçamentário trienal (2021-2023) foram discutidas.

Elaboradas pela diretoria financeira do sindicato e aprovada pelo conselho fiscal, os balancetes e planos financeiros foram aprovados por unanimidade pela categoria nesta tarde. A transparência financeira é bandeira da gestão e o Sindimetrô RS está aberto para dúvidas.

O presidente do sindicato, Luis Henrique Chagas avalia o resultado unânime de aceitação da categoria como um reconhecimento do trabalho feito pelo sindicato. “Nosso papel agora é unir esforços para lutar contra a privatização”, alerta.

 

ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA

ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA

Amanhã, 07, O Sindimetrô RS apresenta, para apreciação da categoria metroviária, o parecer elaborado pelo Conselho Fiscal recomendando a aprovação das contas referentes ao exercício de 2020.

Também será apresentado, pelo diretor financeiro, o Plano Orçamentário Trienal (2021/2023) que foi avaliado e aprovado pelos conselheiros fiscais em fevereiro de 2020.

Tais assembleias ordinárias foram adiadas, em comum acordo entre sindicato e conselho fiscal, devido à crise sanitária e às negociações do ACT 2021.

 

DIRETORAS DO SINDIMETRÔ PARTICIPAM DE ENCONTRO DE MULHERES METROVIÁRIAS EM SÃO PAULO

DIRETORAS DO SINDIMETRÔ PARTICIPAM DE ENCONTRO DE MULHERES METROVIÁRIAS EM SÃO PAULO

Neste final de semana, as diretoras do Sindimetrô participaram do 11º Encontro das Mulheres Metroviárias de SP. Realizado na sede do Sindicato dos Metroviários, na capital paulista, dia 27/11, o evento contou com a participação de trabalhadoras dos metrôs do Brasil todo e teve mesas de debates e palestras com professoras, psicólogas e representantes do movimento negro.

A temática geral foi a resistência das mulheres metroviárias na pandemia e sua retirada de direitos por parte das empresas e dos governos em todas as esferas. Nossas representantes Diana e Mariazinha foram chamadas à fala para relatar a nossa campanha contra o assédio, o engajamento das trabalhadoras e seu desfecho com a demissão do assediador. Neste momento as diretoras tiveram a real dimensão de como aquelas manifestações contra o assédio e o machismo estavam sendo pioneiras e colocando a categoria metroviária gaúcha na vanguarda da luta nacional.

Na tarde de sábado as participantes foram divididas em dois grupos para a realização de bate papos em que as mulheres metroviárias pudessem expor as mais diversas realidades em suas comunidades e locais de trabalho, em relação ao assédio sexual e moral e às lutas da categoria. Destes debates surgiu o “slogan” para uma futura campanha da Fenametro: “O assédio é sempre igual, só muda o sotaque!”.

Ao final do dia foi aprovado uma carta de intenções com base nas temáticas abordadas no encontro como crise social, resistência, #EleNão, privatizações e as lutas contra o assédio moral e sexual. Além disso, o documento contou com reivindicações que podem vir a compor os próximos acordos coletivos de trabalho, como por exemplo, questões de equidade de gênero, racial, condição física e de orientação sexual.

Por fim, foi encaminhada a sugestão de treinamentos com a finalidade de qualificar os trabalhadores para a condução adequada no atendimento de casos de crimes raciais, de homofobia e de violências contra a mulher; e a implementação de cotas sociais em relação a mulheres, travestis e transexuais.